5 de novembro, 2010

Queridos leitores,

A partir de hoje vamos começar a nossa série de posts: Especial Plásticos. O primeiro assunto será dividido em dois posts; um dará a definição e o outro terá como foco o assunto que mais nos interessa: Pigmentos.

Para dar o ponta pé inicial à nossa série de posts “Especial Plásticos” abordaremos o PE (polietileno), por ser um dos tipos de plásticos mais comuns, sendo o mais produzido e o mais vendido no mundo atualmente.

Um fator fundamental para o seu elevado consumo é o seu preço bastante reduzido, o que faz com que o PE (polietileno – também conhecido como polieteno) seja considerado como o plástico mais barato.

Essas características devem-se principalmente à grande versatilidade desse material; que é facilmente processado e não-tóxico, podendo ser quase transparente ou translúcido, rígido ou flexível, natural ou pigmentado.

O que é o PE?
Desenvolvido comercialmente em 1940, o polietileno é obtido pela polimerização do monômero gasoso etileno (CH2= CH2) em reator sob determinadas condições de temperatura e pressão. Possui uma das mais simples estruturas de todos os polímeros, podendo ser reproduzido através de vários processos que lhe conferem características próprias de densidade, peso molecular e distribuição de peso molecular; o que explica a sua grande variedade de processos de transformação e de aplicações.

Principais propriedades:
Baixo custo, elevada resistência química, elevada resistência a solventes, baixo coeficiente de atrito, macio e flexível, fácil processamento, excelentes propriedades isolantes, baixa permeabilidade à água, atóxico, inodoro.

Há quatro tipos básicos de polietileno com representatividade comercial:
Polietileno de Baixa Densidade (PEBD)
O PEBD é a versão mais leve e flexível do PE. É um material de boa dureza, elevada resistência química, boas propriedades elétricas, impermeável, facilmente processável, transparente, atóxico e inerte.

O PEBD encontra um bom campo de atuação pelo processo de sopro. É utilizado basicamente em filmes, laminados, recipientes, embalagens, brinquedos, isolamento de fios elétricos, bolsas e sacolas de todo tipo, garrafas térmicas e outros produtos térmicos, frascos, mangueiras para água, utilidades domésticas, ampolas de soro, etc.

Polietileno de Baixa Densidade Linear (PEBDL)
Quando comparado ao PEBD, possui propriedades mecânicas ligeiramente superiores em termos de resistência mecânica. Seu custo de fabricação é menor. Recomenda-se o PEBDL para aplicação em embalagens de alimentos, bolsas de gelo, utensílios domésticos, canos e tubos.

Polietileno de Alta Densidade (PEAD):
É um plástico rígido, resistente à tração, tensão, compressão e com moderada resistência ao impacto. É resistente a altas temperaturas, possui baixa densidade em comparação com metais e outros materiais, é impermeável, inerte (ao conteúdo), apresenta baixa reatividade, é atóxico e possui pouca estabilidade dimensional.

O PEAD é utilizado em bombonas, recipientes, garrafas, frascos, filmes, brinquedos, materiais hospitalares, tubos para distribuição de água e gás, tanques de combustível automotivos, bolsas para supermercados, caixotes para peixes, refrigerantes e cervejas. Também é usado para recobrir lagoas, canais, fossas de neutralização, contra-tanques, tanques de água, lagoas artificiais, etc.

Quando comparado ao PEBD, tem resistência ao stress cracking, maior brilho, maior rigidez e menor permeabilidade a gases para uma mesma densidade.

Polietileno de média densidade (PEMD)
O polietileno de média densidade possui propriedades intermediárias entre o PEAD e o PEBD. O PEMD é um polímero termoplástico parcialmente cristalino, cujo uso tem crescido bastante em aplicações de engenharia, como em tubos plásticos para sistemas de distribuição de água e de gás.

O polietileno é usado para diferentes tipos de produtos finais, e para cada um deles são utilizados processos diferentes. Entre os mais comuns, estão:
- Extrusão: Película, cabos, fios, tubulações.
- Moldagem por injeção: Partes em terceira dimensão com formas complexas
- Injeção e sopro: Garrafas de tamanhos diferentes
- Extrusão e sopro: Bolsas ou tubos de calibre fino
- Extrusão e sopro de corpos ocos: Garrafas de tamanhos diferentes
- Rotomoldagem: Depósitos e formas ocas de grandes dimensões

Agora que sabemos mais sobre este tipo de plástico tão consumido mundialmente, podemos seguir para o nosso próximo post, onde falaremos sobre os pigmentos utilizados para modificar a cor do polietileno.

Já já nos encontraremos novamente.

  • Yara Mendes (316)
  • 4 Comentários para “ O que é Plástico Polietileno – PE ”

    1. [...] Vocês puderam ver em um dos nossos posts do “Especial Plásticos”, uma apresentação bem legal com a definição do Polietileno (PE) e seus subtipos mais comercializados (PEBD, PEBDL, PEAD e PEMD). [...]

    2. [...] estamos de volta com a nossa série de posts “Especial Plásticos”. E Hoje, após o Polietileno (PE) vamos abordar o [...]

    Deixe um Comentário