6 de maio, 2011

Após um breve intervalo, voltamos com a nossa série “Especial Plásticos”.  E hoje, o nosso foco será voltado para o “famoso” PVC.

Boa Leitura!

O PVC (policloreto de vinila), um pó muito fino, de cor branca, e totalmente inerte, não é um plástico como os outros, é o único que não é 100% originário do petróleo. A principal matéria-prima do PVC é o sal marinho, um recurso natural renovável.

O PVC contém, em peso, 57% de cloro (derivado do cloreto de sódio – sal de cozinha), sendo os 43% restantes obtidos a partir petróleo, utilizado na forma de eteno. Devido a essa baixa dependência do petróleo, o PVC consome apenas 0,3% do petróleo extraído no mundo, índice bem pequeno levando-se em consideração que é um dos três plásticos mais utilizados.

Deve-se destacar que o Brasil possui tecnologia pra sua obtenção a partir do álcool da cana-de-açúcar, tornando-se também um recurso renovável e, por conseguinte, inesgotável.

Essas constatações, por si só, já credenciam o PVC como um plástico que atende a um dos requisitos básicos do Desenvolvimento Sustentável. PVC, um plástico 100% reciclável.

O Policloreto de Vinila (PVC) é um dos plásticos mais versáteis, e devido a esta característica este é um dos materiais mais estudados e utilizados da atualidade.

Os dois principais processos de obtenção do PVC são a polimerização em suspensão e a polimerização em emulsão.

As diferenças entre os processos de suspensão e emulsão se manifestam no tamanho e nas características dos grãos de PVC obtidos, sendo utilizados segundo as aplicações e os resultados que se desejam obter.

A grande versatilidade do PVC atribui-se principalmente à necessidade e à capacidade de incorporação de aditivos antes de sua transformação no produto final. O grande teor de cloro presente na estrutura molecular do PVC lhe confere alta polaridade, o que aumenta sua afinidade e permite sua mistura com uma grande gama de aditivos. Através da escolha e da dosagem adequadas dos componentes da formulação, podem-se obter materiais poliméricos feitos sob medida para aplicações específicas. Dessa maneira, o PVC pode ter suas características alteradas dentro de um amplo espectro de propriedades.

Dentre os principais aditivos que podem ser incorporados ao PVC, destacam-se: plastificantes (dão ao PVC flexibilidade), estabilizantes (protegem o PVC contra a degradação do calor e da luz), antiestáticos, lubrificantes (os internos reduzem a viscosidade do PVC fundido. Os externos impedem a aderência e retardam a solidificação), pigmentos (dão ao PVC a coloração desejada, a opacidade e a proteção contra os raios ultra violeta), espumantes, cargas (melhoram as propriedades mecânicas e reduzem o custo) e modificadores de impacto, obtendo peças com várias durezas (desde produtos rígidos como tubos e conexões até produtos flexíveis como sandálias e mangueiras de jardim); peças translúcidas, cristalinas ou opacas; peças brilhantes ou foscas; peças compactas (sólidas) ou espumadas (expandidas); superfícies com texturas diferenciadas e peças com diversas cores (aspecto perolizado, alumínio, metálico etc.).

Características do PVC:
- Leve (1,4g/cm3), o que facilita seu manuseio e aplicação;
-Resistente à ação de fungos, bactérias, insetos e roedores;
- Resistente à maioria dos reagentes químicos;
- Bom isolante térmico, elétrico e acústico;
- Sólido e resistente a choques;
- Impermeável a gases e líquidos;
- Resistente às intempéries (sol, chuva, vento e maresia);
- Durável: sua vida útil em construções é superior a 50 anos;
- Não propaga chamas: é auto-extinguível;
- Versátil e ambientalmente correto;
- Reciclável e reciclado;
- Fabricado com baixo consumo de energia.

As propriedades, características e relação custo/beneficio do PVC, quando combinados, revelam suas potencialidades de aplicação.

Aplicações:
O PVC é largamente utilizado tanto na área médica e alimentícia quanto na construção civil, setor de embalagens, calçados, brinquedos, fios e cabos, revestimentos, indústria automobilística, e muitos outros; onde sua presença tem se mostrado tão necessária quanto indispensável. Isto pelo fato do PVC ser um plástico versátil, resistente, impermeável, durável, inócuo e 100% reciclável; que não se corrói, é isolante térmico e acústico e não propaga fogo, podendo ser produzido em qualquer cor, desde transparente até opaco e de rígido a flexível.

- Produtos médico-hospitalares:
Embalagens para medicamentos, bolsas de sangue, tubos para transfusão e hemodiálise, artigos cirúrgicos, além de pisos de salas onde é indispensável o alto índice de higiene;

- Janelas:
Oferecem excelente resistência às mudanças de clima e à passagem dos anos, mesmo em ambientes corrosivos (por exemplo, beira-mar), em áreas rurais ou urbanas;

- Pisos e revestimentos de paredes:
Peças decorativas, resistentes e facilmente laváveis;

- Brinquedos e artigos infláveis:
Bolas, bóias, colchões e barcos, etc.;

- Artigos escolares:
Facilmente moldados, têm grade variedade de aspectos (cor, brilho, transparência) e baixo custo;

- Embalagens:
Usadas para acondicionar alimentos, protegendo-os contra umidade e bactérias. Estas embalagens são impermeáveis ao oxigênio e ao vapor, dispensando assim, o uso de conservantes, preservando o aroma;

- Tecidos espalmados decorativos e técnicos:
Usados principalmente para móveis, vestuários, malas e bolsas;

- Garrafas para água mineral:
Leves, transparentes ou coloridas;

- Estruturas de computadores:
Assim como peças técnicas destinadas à indústria eletrônica;

- Automóveis:
Aplicado a revestimento de interiores devido à sua facilidade de moldagem e de manutenção;

- Tubos e conexões:
Utilizados na canalização de água (potável ou não) e esgotos, pois são resistentes e facilmente transportados e manipulados graças ao seu baixo peso. No caso da água potável evita contaminações externas e previne perdas por vazamento, devido à fácil e eficiente soldagem entre os tubos e as conexões. Também são muito utilizados em sistemas de irrigação, de redes subterrâneas e de superfícies a tubulações e filtros para poços profundos e minas, além de redes de drenagem agrícolas e de estradas;

- Mangueiras:
São flexíveis, transparentes e coloridas;

- Laminados:
Utilizados para embelezar e melhorar painéis de madeira e metal. Resistem bem ao tempo, aos raios ultravioletas, à corrosão e à abrasão;

- Laminados impermeáveis:
Utilizados em piscinas, túneis e tetos. Também utilizados para a impermeabilização de aterros sanitários, protegendo o solo e lençóis freáticos

- Frascos para acondicionar cosméticos e produtos domésticos:
Por sua impermeabilidade e resistência a produtos químicos e ótima relação custo benefícios na hora da troca de moldes, além de facilitar o design;

- Móveis de jardim:
Têm grande resistência às variações climáticas e são de fácil manutenção.

Pigmentos para PVC:
A Tríplice Cor apresenta uma variedade de Pigmentos que podem ser aplicados na fabricação dos espalmados de PVC , PVC Plastificado, objetos fabricados através de rotomoldagem, assim como em processos onde utiliza-se o PVC-R.

Acesse o nosso site e confira as propriedades das seguintes linhas: Resth Chrom, Resth Plast, Resth Ultramar, Resth Oxido, Resth Fluor, Resth Pearl, Resth Dyes K, Resth Dyes V e Ecodisper.

Vale lembrar que os nossos posts sobre plásticos e pigmentos de utilização estão disponíveis para a apreciação de todos.
Confiram!

Especial Plásticos: PMMA

Pigmentos utilizados para colorir o polietileno (PE)

O que é Plástico Polietileno – PE

Pigmentos para Plásticos